Carlos Roberto Maciel Levy

Crítico e Historiador de arte

  E-mail

Conteúdo  

Comemorações

Henrique Alvim Corrêa 1876-1910
CENTENÁRIO DE MORTE EM 2010

Acompanhou a família quando esta se transferiu para a Europa em 1893, fixando-se em Paris, onde passou a freqüentar o ateliê do pintor de batalhas Detaille. No Salão de Paris de 1895 apresentou uma tela de grandes proporções, a que deu o título de Le dernier coup de feu, cujo valor a crítica resaltou na época. Fixando residência em Bruxelas a partir de 1898, dedicou-se mais tarde a um projeto de panorama figurando aspecto da guerra franco-prussiana de 1870, com soldados combatendo em uma paisagem urbana, projeto que seu filho, o pintor Eduardo Alvim Correia, conserva entre numerosos outros trabalhos de sua autoria.

Nesses trabalhos destaca-se a série de ilustrações que comecou a executar em 1903 para a obra de H. G. Wells, A guerra dos mundos, cuja leitura muito o impressionara; mantido o contato com o escritor inglês, foram elas publicadas numa edição de luxo do livro, em Bruxelas (1906). Nessas ilustrações pode-se discernir o caráter expressionista e a valorização do traço através de viva sensação de movimento, que caracterizam seu estilo.

No campo da gravura, realizou suas primeiras experiências (na técnica em que se especializaria, a água-forte) por volta de 1904, com uma prensa que ele próprio construíra. José Roberto Teixeira Leite abordou esse aspecto de sua atividade em A gravura brasileira contemporânea (1965), dizendo: "Essa obra gráfica é valiosa por dois motivos: por sua qualidade intrínseca e pelo momento histórico em que foi realizada, antes até de que, em Florença, Carlos Oswald efetuasse as primeiras chapas. Como gravador sentiu Alvim Correia a influência de Felicien Rops, a cujo estilo acham-se ligadas suas peças de cunho erótico, assinadas com pseudônimo (H. Lemort) e marcadas com a pequena caveira (...) Mais notáveis são, porém, suas estampas de cunho intimista, algo no espírito de Vuillard ou Bonnard, as quais permitem supor a que nível não teria atingido o artista, se não tivesse falecido aos 34 anos".

Roberto Pontual
Extraído do livro Dicionário das artes plásticas no Brasil, Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 1969, p.20.



TEXTO
Copyright © sucessores de Roberto Pontual, 1969-2014

BIBLIOGRAFIA

CUNHA, Alexandre Eulálio Pimenta da. Henrique Alvim Correia: guerra & paz, Fundação Casa de Rui Barbosa, Rio de Janeiro, 1981

LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil, ArtLivre, Rio de Janeiro, 1988, p.22-23

Termos e condições Copyright © Carlos Roberto Maciel Levy 1995-2015. Todos os direitos reservados.