Carlos Roberto Maciel Levy

Crítico e Historiador de arte

  E-mail

Conteúdo  

Retrato do artista reproduzido de: J. Steinmann Souvenirs de Rio de Janeiro, Villa Rica Editoras Reunidas, Álbuns do Brasil II, coleção Arte Sempre, vol.2, Belo Horizonte, 1990, p.7

Comemorações

Johann Jacob Steinmann 1800-1844
BICENTENÁRIO DE NASCIMENTO EM 2000

Nascido e falecido na Suíça, iniciou seus estudos de litografia em 1821, com Godefroy Engelmann, na Alsácia, aperfeiçoando-se mais tarde com o inventor desse processo técnico, Alois Senefelder, em Paris. Contratado pelo governo brasileiro em agosto de 1825, como litógrafo oficial e professor de litografia do Arquivo Militar, transferiu-se para o Rio de Janeiro. Trouxe consigo todo o material indispensável ao desenvolvimento de suas atividades (inclusive duas prensas, uma grande e outra pequena), e instalou a oficina litográfica, que começou a funcionar em 1826, em sua própria residência.

Além dos trabalhos propriamente de impressão, destacando-se os mapas que executou, até 1830, para o Arquivo Militar, também dedicou-se ao ensino de litografia a militares e alguns civis. Terminado o contrato com o governo, seguiu atuando por conta própria, continuando a imprimir mapas e criando estampas de tipos populares. Voltou à Europa em fevereiro de 1833. Dois anos depois, em Basiléia, começou a divulgar seu álbum de vistas Souvenirs de Rio de Janeiro, do qual se conhecem exemplares datados até de 1839, constando de doze água-tintas aquareladas, gravadas por Friedrich Salathé. Da vistas que formam o álbum, nove foram desenhadas pelo próprio Steinmann, duas por Kretschmar, uma por Barrat e a última por Deburne.

Gláucia Santos Garcia
Extraído do livro Iconografia e paisagem: Coleção Cultura Inglesa, Edições Pinakotheke, Rio de Janeiro, 1994, p.23.



TEXTO
Copyright © Gláucia Santos Garcia, 1994-2014

Termos e condições Copyright © Carlos Roberto Maciel Levy 1995-2015. Todos os direitos reservados.